Você está aqui:

O Brasil e a geração de tecnologia

ABEP

24/03/2015

Painel discutiu possibilidades e perspectivas

Na última palestra da manhã do dia 24 da EDEP, o tema foi a criação de tecnologia no Brasil. Falaram em sequência Luis Pilli, diretor da LARC, empresa de pesquisa de marketing, e Rubens Hannun, presidente da ASBPM, Associação Brasileira de Pesquisadores de Mercado de Opinião e Mídia. Tecnologia, nesse ambiente, é “um jeito de resolver um problema”, define Pilli. Ela torna-se necessária na medida em que as empresas dependem dela para fornecer um bom serviço ao cliente. Pilli entende que “os clientes não compram tecnologia, um questionário. Eles compram conhecimento”.

Hannun acredita que o Brasil chegou a um “momento de revolução” e pode promover mudanças no universo das pesquisas desde que haja “protagonismo” por parte das empresas. Para o presidente da ASBPM, esse processo pode ser feito por meio de algumas estratégias, que envolvem “capacitação, valorização, [criação de] benefícios, networking, ampliação de horizontes, geração de conteúdo e curadoria”. Outro método, proposto por Pilli, é a aproximação com as universidades, pois elas seriam “o lugar onde se gera conhecimento”.

Galeria

rubens-hannun-presidente-da-asbpm-01rubens-hannun-presidente-da-asbpmO Brasil e a geração de tecnologialuis-pilli-diretor-da-larc-01
  • rubens-hannun-presidente-da-asbpm-01
  • rubens-hannun-presidente-da-asbpm
  • O Brasil e a geração de tecnologia
  • luis-pilli-diretor-da-larc-01

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

três × = 12

ColetivaWeb