Você está aqui:

Workshop ABEP discute a partir de hoje: “A Vanguarda da Pesquisa de Mercado”

ABEP

09/11/2015

Duilio Novaes, presidente da ABEP, abre o workshop “A Vanguarda da Pesquisa de Mercado”

O workshop internacional “A Vanguarda da Pesquisa de Mercado”, organizado a partir de hoje até o dia 11 de novembro pela ABEP, em parceria com o consultor Luiz Sá Lucas, procura, entre outros objetivos, discutir os avanços oferecidos pela tecnologia para coleta de informações em pesquisa de mercado.

Logo na abertura do evento, Duilio Novaes, presidente da ABEP, além de dar boas-vindas aos participantes, disse que esse tipo de workshop faz parte das transformações propostas por sua gestão à frente da associação. A respeito do tema do encontro, Duilio falou que não acredita que a forma tradicional de pesquisa possa acabar. Ele crê que as novas ferramentas de coleta e análise de dados digitais permitem que os clientes tomem decisões mais precisas e com resultados superiores.

Luiz Sá Lucas, consultor da MC15-RJ, mostrou que a indústria de pesquisa vem passando por transformações desde 1920, com Charles Parlin, que procurava analisar o consumo a partir dos objetos descartados no lixo, depois com Paul Lazarsfeld, pai da pesquisa qualitativa, e Arthur Nielsen, que criou a AC Nielsen em 1923, empresa que até hoje é referência no mercado de pesquisa. Lucas destacou, porém, que atualmente o segmento exige respostas mais rápidas, com custos mais baixos. Essa é uma tendência que já foi detectada desde o fim dos anos de 1990 por David Bakken, conselheiro da ESOMAR, que recomenda que o novo modelo de negócio exige integração de vertical, agregando, entre outros elementos, insights estratégicos, economia de comportamento, CRM e logística.

Já Valkiria Garré, diretora da Millward Brown, abordou o tema “Medindo a Performance em Mídias Sociais” e apresentou dados expressivos: 33% do tempo diário das pessoas é imerso na internet, contra 23% direcionado à televisão. No entanto, dos investimentos em mídia, 64% dos recursos são captados pela TV, 16% pela internet e apenas 1% pelo mobile. Ela mostrou ainda que o Itaú, por exemplo, tem conquistado bons resultados na internet e nas redes sociais ao contar a histórias em que as marcas estão envolvidas no dia a dia das pessoas. Isso pode aumentar a confiabilidade do consumidor no seu relacionamento com as marcas.

 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

oito − = 5

ColetivaWeb