ÁREA RESTRITA PARA FILIADOS
CONTROLE DE QUALIDADE DE RECRUTAMENTO - CRQ, INDISPENSÁVEL

Criado em 1994 pela ABEP, o CRQ é hoje uma ferramenta indispensável para garantir a qualidade do recrutamento. Baseado em um cadastro nacional, com mais de 1 milhão e 300 mil registros de respondentes de pesquisa qualitativa, seu principal objetivo é evitar o participante freqüente. Os dados são atualizados em tempo real e via internet, permitindo o uso de qualquer lugar a qualquer tempo, basta um computador ligado à internet.


Comissão do Senado vai realizar audiência para discutir veto a pesquisas eleitorais

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado realizará audiência pública para discutir as pesquisas eleitorais, antes de votar a nova PEC (Proposta de Emenda à Constituição), que vedará a divulgação das pesquisas nos 15 dias que antecedem a votação e até o seu encerramento, às 18h do dia das eleições. O autor da proposta, o senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC) disse que seu objetivo é acabar com a "indústria manipulada para induzir o voto dos eleitores". A audiêcia tem como objetivo ouvir representantes de institutos de pesquisa, da imprensa e juristas antes de definir sua posição sobre a proposta.




ABEP adia para 2015 a implantação do Novo Critério Brasil

Por prezar pela qualidade das informações que são geradas por seus filiados ao mercado, a direção da ABEP (Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa) decidiu adiar para janeiro de 2015 a implantação do Novo Critério de Classificação Econômica Brasil. Embora a adoção do novo parâmetro estivesse prevista para janeiro de 2014, a análise dos resultados dos grandes estudos contínuos do mercado mostrou a necessidade de ajustes pontuais no modelo que passará a ser seguido. No entanto, essas pequenas correções provocam desdobramentos operacionais que inviabilizam a aplicação do Novo Critério Brasil nos estudos contínuos de 2014, pois a base dos levantamentos precisa ser a mesma de janeiro a dezembro.
A diretoria da ABEP lembra que o Critério Brasil é uma evolução do indicador criado pela ABA (Associação Brasileira de Anunciantes), no final da década de 1960, para definir uma segmentação mais apropriada da população em classes econômicas, para fins relacionados ao consumo - como a avaliação do poder de compra de grupos homogêneos de pessoas para a determinação de públicos-alvo mais fieis para os diferentes mercados de produtos de massa e dos preços de anúncios em veículos de mídia.


PESQUISA: COMO SABER QUANDO ESSE SERVIÇO VALE A PENA?
Pesquisas de mercado servem para gerar informações que vão embasar ações e indicadores de monitoramento de desempenho de um produto ou negócio. O alto custo desse levantamento, porém, pode inibir os empresários a optar por esse tipo de estudo e fazer com que escolha alternativa mais em conta. Então, como saber quando esse serviço vale a pena?
Luis Pilli, diretor da Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa (ABEP), diz que a decisão deve ser tomada levando em consideração os resultados que o empreendedor deseja atingir. E admite que o preço desses serviços têm de ser levado em conta no planejamento das empresas. "Lançamento de produto e inauguração de novos pontos comerciais são algumas situações que pedem pesquisas exclusivas, vitais para o planejamento do empresário. Em outros casos, pode-se buscar alternativas mais baratas", diz. Uma delas é compartilhar levantamentos ou adquirir formulários prontos, desenvolvidos por profissionais, e aplicá-los. "Importante é que a escolha seja feita individualmente, em função do foco do negócio", afirma Pilli.
O empresário que quiser desenvolver um trabalho como esse vai ter de pesquisar bastante. Os preços variam muito de fornecedor para fornecedor e existem várias opções e modelos de pesquisa disponíveis no mercado. Segundo o diretor da ABEP, o prazo para entrega de um estudo varia de um a quatro meses.
6º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA

O 6º Congresso Brasileiro de Pesquisa reuniu, em março passado, mais de 650 profissionais do setor. O evento contou com a participação de 20 palestrantes, 6 internacionais e mostrou que o mercado de pesquisa deve ficar alerta às inovações tecnológicas e ser o principal radar das principais transformações sociais.


A norma ISO 26362:2009

A Norma ISO 26362, que proporciona termos e definições bem como requisitos para as organizações e profissionais que possuem e/ou utilizam painéis de pesquisa social ou de mercados, é válida para todo tipo de painéis, tanto sob a forma de captação é online ou offline.

Pesquisa promete definir classes econômicas

A pesquisa mais recente e vista por muitos como definitiva na classificação da população em classe de renda é a Vozes da Classe Média, elaborada pela Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República (SAE). A fim de definir o que é e quais são as necessidades da classe dita em ascensão, o órgão realizou um estudo com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) em 2009, e definiu as faixas de renda de cada uma das classes levando em conta a realidade econômica brasileira.
O assunto gera dúvidas na população em geral, inclusive entre os órgãos de pesquisa. Quando questionados, os principais institutos de pesquisa brasileiros, como o IBGE, o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), afirmaram não realizar uma divisão por faixas de renda, mas informar os dados com base nas diversas faixas de rendimento sem enquadrá-los em classes. Entretanto, ambos indicam a classificação da SAE como a mais correta no que diz respeito a esse tipo de serviço.

Comunicado